Estatueta Funerária – Uchebti (3) / 380 a.C. – 343 a.C.

Estatueta Funerária – Uchebti (3) / 380 a.C. – 343 a.C.

 

Da esquerda para a direita:

FMA 1779

Estatueta funerária anepígrafa – Uchebti

Egipto, Época Baixa (XXX Dinastia) 380 a.C. – 343 a.C.

Faiança vidrada

Alt. 12,4cm x Larg. 3,4cm

 

Figura mumiforme funerária – uchebti – com os membros superiores a saírem do envoltório fúnebre.
A figura tem bons detalhes em relevo:
– o rosto tem as expressões bem delineadas, podendo observar-se o «sorriso saíta», característico da Época Baixa;
– sobre a cabeça enverga uma cabeleira tripartida lisa, duas partes caem sobre o peito da estatueta e a outra sobre as costas;
– a figura segura instrumentos agrícolas nas mãos: na mão esquerda segura um pequeno sacho, na direita um alvião (enxada) e a corta do cesto de sementes que caí sobre as costas da figura, sendo perceptível tanto o torcido da corda como o trabalho da cesta;
– a pêra osírica/divina, que era comummente segura ao queixo por duas tiras de fita, apresenta um aspecto entrelaçado.
Nas costas da estatueta é possível ver-se o pilar dorsal, outra característica da Época Baixa.
É uma estatueta funerária anepígrafa (sem inscrições).

 

FMA 1780

Estatueta funerária (2) – Uchebti

Egipto, Época Baixa (XXX Dinastia) 380 a.C. – 343 a.C.

Faiança vidrada

Alt. 9,9 cm x Larg. 2,6 cm

 

A estatueta funerária apresenta a tradicional posição mumiforme dos uchebtis.
A figura tem relevos bem detalhados, estando ornamentada com uma cabeleira tripartida lisa, que caí sobre o peito e as costas. A face tem feições bem delineadas, sendo visível o «sorriso saíta» característico da estatuária da Época Baixa. A pêra osírica colocada no queixo não apresenta entrelaçados. A estatueta possuí os instrumentos agrícolas comuns neste género: na mão esquerda segura um sacho, na direita um alvião e a corda da cesta de sementes que lhe cai sobre o ombro, nas costas da figura.
Nas costas da estatueta é possível ver-se o pilar dorsal, característica da Época Baixa.
A estatueta possui uma inscrição hieroglífica em “T”, forma utilizada na XXX dinastia egípcia e que se prolongou durante o período ptolemaico. A inscrição deve ser lida: na parte superior, da direita para a esquerda e na zona inferior, de cima para baixo. Um dos signos está escrito incorrectamente.

 

FMA 1781

Estatueta funerária (2) – Uchebti

Egipto, Época Baixa (XXX Dinastia) 380 a.C. – 343 a.C.

Faiança vidrada

Alt. 8,4 cm x Larg. 2,3 cm

 

A estatueta funerária apresenta a tradicional posição mumiforme dos uchebtis.
A figura tem relevos de menor qualidade:
– está ornamentada com uma cabeleira tripartida lisa, que cai sobre o peito e as costas;
– a face tem as feições delineadas, sendo visível o «sorriso saíta» característico da estatuária da Época Baixa,
– a pêra osírica colocada no queixo apresenta entrelaçados;
– nas mãos possuí os instrumentos agrícolas comuns: na mão esquerda segura um sacho, na direita um alvião e a corda da cesta de sementes que lhe cai sobre o ombro, nas costas da figura.
Nas costas da estatueta é possível ver-se o pilar dorsal, característica da Época Baixa.
A estatueta possui uma inscrição hieroglífica em “T”, forma utilizada na XXX dinastia egípcia e que se prolongou durante o período ptolemaico. A inscrição deve ser lida: na parte superior, da direita para a esquerda e na zona inferior, de cima para baixo.
A estatueta já não possuí a base original.

 

Proveniência: 

O conjunto de 3 estatuetas foi oferecido a Medeiros e Almeida, pela Leiloeira Soares e Mendonça Lda., Rua Luz Soriano, 53, 1º, Lisboa, a 30 de Junho de 1956.

 

Nota: A Casa-Museu Medeiros e Almeida agradece a colaboração da Dr.ª Andreia Cunha da Silva na identificação e descrição das peças.

 

Bibliografia:

1. Luís Manuel de Araújo (Dir.), Dicionário do Antigo Egipto, Editorial Caminho, Lisboa, 2001.
2. Jaromír Malék, Egyptian Art, Phaidon Press Limited, Londres, 2000.
3. Ian Shaw e Paul Nicholson, The Dictionary of Ancient Egypt, in association with the British Museum, Harry N. Abrams, Inc., Nova Iorque, 1995.
4. Sir Alan Gardiner, Egyptian Grammar – Being an introduction to the study of hieroglyphs, 3ª Edição, Griffith Institute – Ashmolean Museum, Oxford, 2001.
5. Luís Manuel de Araújo, Arte Egípcia – Colecção Calouste Gulbenkian, Museu Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2006.
6. Luís Manuel de Araújo, Antiguidades Egípcias, Museu Nacional de Arqueologia – Secretaria de Estado da Cultura, Instituto Português de Museus, Lisboa, 1993.
7. José das Candeias Sales, Divindades Egípcias – uma chave para a compreensão do Egipto antigo, Editorial Estampa, Lisboa, 1999.
8. George Hart, The Routledge Dictionary of Egyptian Gods and Goddesses, Routledge, Nova Iorque, 2005.

Artista / Autor

Desconhecido

Data

Época Baixa, XXXª Dinastia, 380 a.C. - 343 a.C.

País de origem

Egipto

Materiais

Faiança vidrada

Categoria
Faiança Egípcia