Paisagem de floresta, finais séc. XVIII

Paisagem de floresta

Autor desconhecido, seguidor de Thomas Gainsborough

Londres (?), finais séc. XVIII

Óleo sobre tela

Alt. 47,5/30,5cm x Larg. 53,5/35,5 cm (com/sem moldura)

 

Pintura de pequenas dimensões, representando paisagem de floresta com riacho e personagens numa palete quase monocromática, de tons neutros entre verdes, dourados e castanhos.
Em primeiro plano, à esquerda adivinha-se um pequeno curso de água correndo entre árvores de grande porte com densa folhagem, na margem direita, sobre uma elevação, numa zona menos arborizada, destaca-se tronco de uma árvore morta e vegetação rasteira.

Num plano intermédio, ao centro mas sem grande destaque, encontram-se duas figuras humanas (masculina e feminina ou adulto e criança) estilizadas, segurando uma delas um bastão (?). Do lado esquerdo, uma vereda entre as árvores ilumina-se com a luz dourada do cair do dia.

O plano de fundo é preenchido por profusão de árvores de com frondosa vegetação. Por entre o arvoredo o céu adquire diferentes tonalidades revelando um fim de tarde.
Moldura em talha dourada entalhada e vazada com concheados e enrolamentos vegetalistas.

Proveniência:

A pintura foi adquirida por Medeiros e Almeida ao antiquário Leggat Brothers (30, Saint James Street), Londres, em 1948, por £ 450, como sendo um original do pintor inglês do século XVIII, Thomas Gainsborough (1727-1788).
A moldura de talha dourada do século XVIII foi adquirida na época, a H. J. Spiler (37, Beak St., Regent St.), Londres, em 11 Junho de 1957, por 60£.

 

No âmbito do trabalho de pesquisa do seu acervo, a Casa-Museu contactou alguns peritos de pintura inglesa que, em relação à pintura “Paisagem de floresta”, referiram tratar-se de um trabalho de um seguidor desconhecido de Gainsborough, ainda de finais de setecentos:

“…the Gainsborough I think is by a later imitator. My friend Hugh Belsey who works on Gainsborough may be able to advise you about this picture.”– Alex Kidson, The Romney Society

“…Many thanks for your email attaching the image of the landscape attributed to Gainsborough.
I am afraid this is not an autograph work though it includes many aspects of the artist’s style, so I can appreciate why Leggatt’s would have made the attribution. In 1948 there was little understanding of Gainsborough’s work as a landscapist and it was not until 1982, when John Hayes published his catalogue, that the style in this genre was clearly defined. There were several copyists working in the late 18th century the best of them was Thomas Barker of Bath whose work could be very close to Gainsborough’s. However, in this instance I do not think this painting is by him and I am afraid if I were forced to give a catalogue description I think the closest I could consider would be “Follower of Thomas Gainsborough’.

I am sorry to disappoint you.

Yours sincerely,

Dr. Hugh Belsey / Art Historian
Former Curator of Gainsborough’s House in Sudbury
Author: Thomas Gainsborough: The Portraits, Fancy Pictures and Copies After Old Masters (Paul Mellon Centre for Studies in British Art)”

 

 

 

Maria de Lima Mayer

Casa-museu Medeiros e Almeida

 

Bibliografia

HAYES, John; Gainsborough: Paintings and drawings, Londres: Phaidon, 1975

Webgrafia

Casa de Gainsborough em Sudbury : http://www.gainsborough.org/

 

Artista

Artista desconhecido seguidor de Thomas Gainsborough (1727-1788)

Data

Finais séc. XVIII

Local

Inglaterra

Materiais

Óleo sobre tela

Dimensões

Alt. 47,5/30,5cm x Larg. 53,5/35,5 cm (com/sem moldura)

Categoria
Pintura Inglesa