Secretária com Alçado, Destaque Julho de 2011

Secretária com Alçado, Destaque Julho de 2011

 

Secretária com alçado e relógio
John Webb (ca. 1800-1872)
Londres, 1854-1857
Carvalho com revestimento de ébano, latão, tartaruga, bronze dourado e esmaltes.
Relógio: esmalte, aço e vidro
Alt.: 200 cm. X Larg. : 80 cm.

Mesa-secretária de três níveis – mesa, alçado e relógio – em madeira de carvalho revestida a folha de ébano e marqueteria Boulle première-partie em latão dourado segundo desenhos de Jean Bérain, e decorada com apontamentos em tartaruga e com profusão de bronzes dourados, entre os que destacam dois conjuntos de figuras representando as estações do ano.

 

Ao centro um escaninho faz uma reentrância onde se ocultam, à esquerda e à direita, duas gavetas de segredos, ocultas por duas portas laterais, que são abertas através de um mecanismo comandado por um botão disfarçado entre as quatro cartelas onde se apresentam, em esmaltes polícromos, os brasões dos Seymour e Conway.

 

Integrado na secretária, e rematando o conjunto, um relógio de mesa da autoria de Peter Saphin (1828-1875), encimado pela representação da Fama.

 

 Origem:

Esta secretária faz parte de um par que é cópia de um original francês, realizado cerca de 1715 para Maximiliano II, Eleitor da Baviera (1662-1726). O móvel, anteriormente atribuído a André-Charles Boulle (1642-1732), é atualmente atribuído a Bernard I Van Riesen Burgh (1670-1732).

O par da secretária da Casa-Museu encontra-se na Wallace Collection em Londres e o exemplar original encontra-se desde 1951 exposto no Museu do Louvre em Paris:

 

Encomenda:

Richard Seymour-Conway, 4º Marquês de Hertford (1800-1870), encomendou desenhos da secretária original – na altura na colecção do Duque de Buccleuch – quando esta foi exibida em Londres em 1853, e pediu ao marceneiro e comerciante inglês John Webb – através do negociante de arte Edward Ruttler – a realização de um par (e de outros seis móveis), aos quais só alterou os escudos com as armas do Eleitor da Baviera pelas suas próprias armas.

 

Historial:

Quando o 4º Marquês de Hertford morreu, as secretárias e o resto dos seus bens são herdados pelo seu assistente e filho ilegítimo Richard Wallace (1818-1890), que continuou a colecção da família com novas aquisições.

A única herdeira de Sir Wallace virá a ser a sua mulher, Lady Wallace que – à morte em 1897 – deixou à nação Britânica todos os objectos presentes em Hertford House – residência familiar em Londres onde hoje em dia se encontra a Wallace Collection, colecção de artes decorativas que reúne as peças mais importantes da família dos Marqueses de Hertford – e o resto dos seus bens, entre os quais as rendas de Hertford House e do apartamento da rue Laffitte em Paris – onde se encontrava esta secretária – a John Murray Scott, seu conselheiro desde a morte do marido. Este, por sua vez, deixou em herança o apartamento da rue Laffitte e o seu espólio, assim como 150.000 libras, à sua amiga Victoria, Lady Sackville of Knole (1862-1936), esposa do 3º Barão de Sackville, causando um grande escândalo na época. Lady Sackville vendeu posteriormente o apartamento parisiense com o seu recheio a Jacques Seligmann (1858-1923), um comerciante de arte parisiense (Jacques Seligmann & Cie. rue des Mathurins, Paris) que, a partir de 1916, põe à venda muitos dos objectos artísticos pertencentes a este apartamento em Nova Iorque, onde o seu filho Germain, tinha aberto uma sucursal do negócio.

 

 

Proveniência:

Medeiros e Almeida comprou a secretária nos Estados Unidos, ao antiquário Pennington Museum Treasures, de Los Angeles, California, por 70.000 dólares, em 23 de Setembro de 1976, mas esta só chega a Portugal  um ano mais tarde, já que antes foi emprestada para uma exposição chamada: “Collection without walls: problems in Connoisseurship”, que decorreu na Universidade Estatal da Califórnia entre 3 e 31 de Outubro desse ano.

 

Biografias:

Richard Seymour-Conway, 4º Marquês de Hertford (1800-1870): filho do 3º Marquês de Hertford, cresceu em Paris ao cuidado da sua mãe, Maria Fagnani, filha ilegítima da Marquesa Fagnani. Após um breve período como membro do Parlamento e oficial de cavaleiro, retira-se da vida pública entregando-se por completo à colecção de obras de arte, paixão herdada da família do seu pai e à qual se dedicou com total devoção, constituindo o núcleo principal da actual Wallace Collection de Londres.

 

 

Sir Richard Wallace (1818-1890): filho ilegítimo do 4º Marquês de Hertford, para quem trabalhou como secretário, não teve direito ao título de Marquês que passou para um familiar afastado, adoptando ele o nome de solteira da sua mãe. Após a morte do seu pai herdou a sua colecção de arte, um apartamento na rua Laffitte em Paris, o Château de Bagatelle perto de Paris e as propriedades na Irlanda. Pouco depois comprou também ao 5º Marquês de Hertford a casa familiar em Londres, Hertford House, para onde se mudou até a morte do seu único filho, Edmond Richard, momento no qual voltou a Paris, onde à sua morte foi enterrado no panteão familiar no cemitério de Père-Lachaise.

Dedicou os últimos 20 anos da sua vida a ampliar a colecção familiar com novas adquisições, mas também a diversas causas benéficas, nomeadamente durante o cerco de Paris pelas tropas prussianas e na Irlanda.

 

Lady Wallace (1819-1897): Julie-Amélie-Charlotte Castelnau foi amante de Sir Richard Wallace – a quem conheceu sendo  empregada de uma perfumaria em Paris e de quem teve um filho em solteira – durante mais de três décadas, antes de finalmente casar em 1871, após a morte do 4º Marquês de Hertford.

 

Sendo a única herdeira do seu marido, deixa no seu testamento a colecção de Hertford House à nação Britânica, um apartamento no boulevard des Italiens em Paris aos seus netos e tudo o resto a John Murray Scott, antigo secretário de Sir Richard Wallace e conselheiro de Lady Wallace desde a sua viuvez.

 

Sir John Edward Arthur Murray Scott (1847-1912): vende Hertford House ao governo britânico para acolher a Wallace Collection, que abrirá em 1900, sendo ele um dos administradores. À sua morte deixará o apartamento da rue Laffitte e as obras nele existentes, à sua amiga Victoria, Lady Sackville.

 

Lady Sackville (1862-1936): era filha ilegítima de Lionel Sackville-West e de uma dançarina espanhola. Foi criada pela sua mãe,  com os seus três irmãos, em França. Só irá a Inglaterra em 1800, onde anos mais tarde casará com o seu primo Lionel Edward Sackville-West, de quem terá uma filha, Vita.

Quando o seu íntimo amigo “Seery”, John Murray Scott, lhe deixa em herança um apartamento e £150.000, o escândalo foi tal que teve que ser solucionado nos tribunais, convertendo-se num espectáculo para a sociedade da época. Ela ficou com o dinheiro e vendeu o apartamento e respetivo recheio a Jacques Seligmann & Cie., uma galeria internacional de arte.

 

Samantha Coleman Aller
Casa-Museu Medeiros e Almeida

Artista

John Webb, c.1800-1872

Ano

1854-57

País

Londres, Inglaterra

Categoria
Destaque