Horace Walpole – a história de uma proveniência

Sir Horace Walpole

Seguidor desconhecido de Jonathan Richardson, o Velho
Londres (?), 2ª metade do séc. XIX

Óleo sobre tela

Alt. 267 cm. x Larg. 115 cm.

O retrato de grandes dimensões representa Horace Walpole, ainda jovem, de pé, a três quartos com porte muito elegante. O jovem traja uma sobrecasaca de veludo azul petróleo, um colete comprido rosado ricamente bordado com aplicações a dourado e uma camisa branca com as mangas tufadas nos punhos e gola drapeada. A mão esquerda esconde-se parcialmente na carcela da camisa e a direita está estendida para baixo, segurando um panejamento escuro.
Para além de usar peruca de caracóis enrolados junto às orelhas à moda da época, o retratado traz à cinta, do lado esquerdo uma espada, símbolo de nobreza.

O fundo escuro realça a figura.

A moldura em talha dourada, do século XVIII, foi adquirida por Medeiros e Almeida aquando da compra da pintura.

 

Sir Horace Walpole (1717-1797), 4º Conde de Orford, foi um historiador de arte, escritor e colecionador. É considerado o pai do romance “gótico” com a obra “O Castelo de Otranto” (1765). A sua herdade de Strawberry Hill introduziu o neo-gótico na arquitetura inglesa.

 

Proveniência:

A pintura pertenceu à coleção de John Coubrough (Blanefield House, Stirlingshire), Inglaterra tendo sido nesta época emprestada para ser exposta na  “International Art Exhibition” (cat. no. 638), que decorreu em Kelvingrove Park, Glasgow, Escócia, entre 2 Maio e 4 Novembro de 1901, sendo apresentada como “Prince Charles Edward Stuart”, da autoria de Godfrey Kneller;
Pertenceu à coleção do sogro do Lieut-Colonel William Forbes, D.S.O. que, por sua vez, a comprou a um negociante de Glasgow em 1957;

 

Em altura desconhecida a obra foi reatribuída a Jonathan Richardson o Velho, sendo identificado o figurado como Horace Walpole;

Pertenceu à coleção do antiquário e colecionador Bryan Hall of Banningham, Norfolk, 1964;

Neste ano, Adams Kingsley, conservador na National Portrait Gallery de Londres, terá observado que esta pintura seria uma cópia da 2ª metade do século XIX porém tal facto não terá chegado ao conhecimento de L.G.G. Ramsey Esq. (1913-1990), editor da revista “The Connoisseur” e membro da Walpole Society que a adquiriu para a sua coleção como sendo o original de J. Richardson;

 

A pintura foi adquirida por Medeiros e Almeida ao amigo L.G.G.Ramsey (10 Acacia Place, St. John’s Wood), Londres, em 31 de Junho de 1965, pela quantia considerável de £ 2.500.

De acordo com a correspondência coeva, Ramsey vendeu a pintura pois desejava adquirir uma casa na costa de Inglaterra devido a doença de um filho.

       

 

Na sequência desta compra, a 26 de Março de 1965, Medeiros e Almeida manda avaliar a pintura para efeitos de seguro, tendo a firma William Drown” (110, New Bond Street), Londres, considerado o quadro de “excepcional interesse” e estabelecido seguro no valor de £2,000: “The above portrait is of such exceptional interest that we value it for insurance at £2.000”.

 

 

Devido a uma referência no Boletim da Walpole Society de 1968-1970, em que a pintura pertencente a Medeiros e Almeida é referida como sendo uma cópia posterior: “Copy of uncertain date after Jonathan Richardson”, a Casa-Museu, após peritagem da obra e pesquisa da sua proveniência apurou que a pintura é, de facto, uma cópia posterior, provavelmente da 2ª metade do séc. XIX, atribuída a um seguidor de J. Richardson:

“The portrait in your collection is one recorded as a copy” – Cynthia Roman, Curator of Prints, Drawings and Paintings, The Lewis Walpole Library, Yale University.

“The Jonathan Richardson portrait of Horace Walpole seems to be a copy of the portrait reproduced as belonging to Lord Waldegrave” – Alex Kidston, Romney Society.

 

O retrato original de Sir Horace Walpole, datado de 1734-1735, do pintor inglês Jonathan Richardson, o Velho (1665-1745) pertence à família dos Barões de Waldegrave de Chewton House, Chewton Mendip, Bath, Inglaterra.

William Arthur Waldegrave (1946-), atual Barão Waldegrave de North Hill, PC  emprestou o retrato para uma exposição temporária no Victoria & Albert Museum, Londres: “Horace Walpole & Strawberry Hill” que decorreu entre 6 Março e 4 Julho de 2010.

http://www.vam.ac.uk/content/articles/h/horace_walpole_exhibition/

 

 

Se bem que, de acordo com o apurado, nos anos 60 já existia o registo desta obra como se tratando de uma cópia da segunda metade do século XIX, estando inclusivamente tal facto reportado no boletim da Walpole Society, num artigo que colige todos as obras que apresentam retratos de Horace Walpole, queremos acreditar que um respeitável autor como Leonard G.G. Ramsey, editor da afamada revista “The Connoisseur” e membro da Walpole Society, estivesse também ele equivocado quanto à autoria da sua pintura, não pretendendo “enganar” Medeiros e Almeida, quem, certamente devido à respeitável proveniência, não hesitou em adquirir a obra.

 

Maria de Lima Mayer

Casa-Museu Medeiros e Almeida

 

Bibliografia:

KETTON-CREMER, R.W.; Horace Walpole, Londres: Methuen & Co. Ltd, 1964 (1ª edição 1940) (p.49)
ADAMS, Kingsley; LEWIS, W.S.; “The Portraits of Horace Walpole” in: The Forty-second Volume of the Walpole Society 1968-1970, Londres: The Walpole Society, 1970 (pp.7-9)

BROWNELL, Morris; The Prime Minister of Taste: A Portrait of Horace Walpole, Londres: Yale, 2001

Webgrafia:

http://images.library.yale.edu/strawberryhill/

https://walpole.library.yale.edu/

https://www.walpolesociety.org.uk/

http://www.vam.ac.uk/content/articles/h/horace_walpole_exhibition/

http://www.strawberryhillhouse.org.uk/history.php

 

Artista

Autor desconhecido, seguidor de Jonathan Richardson, o Velho (1665-1745)

Data

2ª metade do século XIX

Local

Inglaterra (?)

Materiais

Óleo sobre tela

Dimensões

Alt. 267 cm. x Larg. 115 cm.

Categoria
Pintura Inglesa