Taza Aldobrandini, Destaque Junho de 2011

Taza Aldobrandini, Destaque Junho de 2011

Taça “Aldobrandini”

Autor desconhecido

Prov. Holanda, c. 1570-1585

Prata dourada, repuxada e gravada

Alt. 43cm / Diam. 35cm / Peso 2970gr

A taça Aldobrandini da Casa-Museu Medeiros e Almeida pertence a um conjunto de doze “tazze” feitas em honra dos dozes primeiros césares romanos (aliás, Júlio César e os onze primeiros césares).

 Cada taça é composta por três partes: figura, prato e pé.

No topo ergue-se a figura erecta de um dos Imperadores assente em pequena coluna, colocada ao centro de um prato decorado com quatro reservas representando cenas da vida do respectivo César, por sua vez assente em pé alto, canelado, terminado por base circular.

HISTORIAL DA PEÇA: 

Encomenda desconhecida, em local desconhecido, provavelmente Países Baixos, cerca de 1570-1585,

O conjunto das 12 taças foi mencionado documentalmente pela primeira vez no inventário do Cardeal Pietro Aldobrandini (1571-1621) em 1603, Roma,

Na ausência de descendência masculina, a taça foi herdada por Olímpia Aldobrandini (1623-1682) casada com Paolo Borghese e em segundas núpcias com o príncipe Camillo Pamphili.

Conjunto mencionado no inventário do Príncipe Giovanni-Battista Pamphili, de 2 de Março de 1710, Roma

Descritas em depósito de Rudolph Ackerman (1764-1834), Londres, como sendo do ourives italiano B. Cellini

Pertenceram ao comerciante de prata, Kensigton Lewis, Londres em 1826

Thomas Hamlet, Londres, ourives, joalheiro e comerciante, vende-as em leilão a 3 de Fevereiro de 1834 (devido a dificuldades financeiras)

Adquiridas a 3 de Fevereiro de 1834 por George Robins, ainda como obra de Benvenuto Cellini;

Em 1837 foram adquiridas por um Emanuel, provavelmente sócio da Emanuel Brothers, joalheiros vitorianos, 7, Bevis Market, Londres, por 1.000 Gns

Pertenceram ao colecionador Charles Scarisbrick (1801-1860), Scarisbrick Hall, Lancashire, Inglaterra,

Vendidas em leilão da Christie’s Londres, do espólio de Charles Scarisbick, de 15 de Maio de 1861, lote 159, acompanhadas do manuscrito original. Foi esta a última vez em que o conjunto de 12 taças esteve junto, nesta ocasião, provavelmente durante o processo de douramento das peças, ao serem desmontadas as taças foram remontadas erradamente, não correspondendo a figura dos imperadores representados, às cenas da sua vida presentes no respetivo prato.

Seis taças foram adquiridas pelo antiquário e colecionador Frédéric Spitzer (1815-c.1891), Paris, que, nessa altura lhes substituiu os pés por suportes de feição barroca,

Vendidas em leilão do espólio de Spitzer, na leiloeira Paul Chevalier, Paris, em 17 de Abril e 16 de Junho de 1893, lotes 1758 a 1763, acompanhadas do manuscrito original – lote 3025 – que a partir daqui, se perdeu (vendido com lote nº 1363 de moedas romanas),

As outras 6 dispersaram-se; duas delas fizeram parte da colecção Rothschild e da coleção do ramo Rothschild Lambert (Bélgica),

Uma taça proveniente da coleção Rothschild Lambert foi adquirida, em data e ocasião desconhecidas, pelo antiquário Leiria e Nascimento Lda., Lisboa

Descrição:

A taça da Casa-Museu é composta por pé (original) de base circular e coluna decoradas com caneluras e prato redondo ligeiramente abaulado com rebordo limitado por friso em escama, apresentando no fundo quatro reservas separadas por grandes colunas estriadas com bases e capitéis clássicos.

O prato apresenta, ao centro, um pequeno círculo rematado por friso ovalado, erguendo-se no meio uma pequena coluna canelada como o pé e base, donde se destaca a figura do Imperador Sérvio Sulpício GALBA de corpo inteiro, em traje militar de gala, a mão direita aberta e esticada para a frente, a esquerda segurando a espada que passa por trás das costas, entre o manto e as vestes, vendo-se apenas os copos e a ponta. Na cabeça, o imperador ostenta a característica coroa de louros.

Cada reserva é decorada com cenas da vida do Imperador Caio Júlio César Augusto Germânico, conhecido como CALÍGULA, inspiradas em gravuras que circulavam à época (entre elas as de Pirro de Ligório (c. 1500 – 1583)), inspiradas na obra de Caio SUETÓNIO (c.69-122) “Os Doze Césares” (De Vita Caesarum) escrita em 121 A.D.

  • Cena de campo de batalha onde se opõem quatro legiões dispostas nas típicas formações retangulares de legionários, em fundo de paisagem com um pequeno rio e casario. O imperador, ao centro, é transportado numa biga;
  • Cena representando a submissão de inimigos ao imperador e seus generais; um grupo encabeçado por um rei (coroado) encontra-se prostrado perante o imperador. Do lado direito representa-se um rio e do outro um grande crescente indica a Turquia;
  • •  Cena representando um banquete assistido por uma multidão e um desfile, onde o imperador, representado sentado num trono sobre um podium engalanado, manda distribuir moedas/pão aos pobres. A cena é fechada por arquitetura de muralha com torreões e uma arcada. Localiza-se ainda um templo. Trata-se da comemoração de uma das vitórias de Calígula;
  • • Cena representando o imperador a cavalo, antecedido e precedido por um cortejo, atravessando uma ponte de barcas sobre um rio tumultuoso onde são figurados monstros marinhos. Reza a história que Calígula, querendo passar para a ilha de Puteoli, não havendo ponte mandou fazer uma ponte de barcas para poder atravessar o rio. Em fundo, uma cidade muralhada com grande torre circular de entrada.

 

Localização presente das 12 taças:

Até aos dias de hoje, as taças têm aparecido em diversos leilões, tendo sido adquiridas por museus e particulares. Apesar das vicissitudes, as doze taças chegaram aos nossos dias, conhecendo-se a sua presente localização:

 1. Museu Lazaro Galdiano, Madrid, Espanha – figura e taça Júlio César, pé século XIX (armas)

2. The Minneapolis Institute of Arts, Minneapolis, EUA – figura Augusto, taça Tibério, pé original armas)

3. Coleção privada – figura Tibério, taça Nero, pé original (sem armas)

4. Coleção Schroder, Londres, Inglaterra – figura Calígula, taça Galba, pé original (armas)

5. Coleção privada – figura e taça Cláudio, pé original (sem armas)

6. Coleção Andrés von Buch, Buenos Aires, Argentina – figura Nero, taça Augusto, pé original (sem armas)

7. Casa-Museu Medeiros e Almeida, Lisboa, Portugal – figura Galba, taça Calígula, pé original (sem armas)

8. Museu Royal Ontario, Toronto, Canada – figura e taça Otão, pé do século XIX (armas)

9. The Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque, EUA – figura e taça Vitélio, pé do século XIX (armas)

10 Coleção privada (EUA) – figura e taça Vespasiano, pé do século XIX (armas)

11a. Coleção Andrés von Buch, Buenos Aires, Argentina – figura Tito e cópia da taça Tito, pé do século XIX (armas)
11b. Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa, Portugal – taça Tito (armas)

12. Victoria & Albert Museum, Londres, Inglaterra – figura e taça Domiciano, pé do século XIX (sem armas)

 

Proveniência:

A taça foi adquirida na Leiloeira  Leiria & Nascimento Lda., Rua da Emenda, 30-36, Lisboa, a 30 de Setembro de 1959, por 160.000$00, sendo proveniente da colecção Rothschild Lambert de Bruxelas.

Artista

Desconhecido

Ano

1560

País

Itália

Materiais

Prata Dourada

Categoria
Destaque