Carta aberta à Diretora

Carta aberta à Diretora

Carta aberta à Diretora,

Pessoal e TRANSmissível.

É com um misto de sentimentos (choro e riso) que nos despedimos de Teresa Vilaça, diretora da Casa-Museu desde a sua abertura ao público, em junho de 2001 que este mês se reforma.

Desde então esta casa cresceu, passando de uma residência de portas fechadas a uma instituição de porta aberta aos nossos visitantes, ao mundo.

Tal como um maestro, Teresa conduziu nestes 19 anos uma quantidade incrível de tarefas em colaboração com a sua “equipa maravilha” (como gosta de lhe chamar): inventariámos o acervo, catalogámos a documentação, investigámos e estudámos as nossas peças, criámos um percurso museológico, abrimos novos espaços no museu, demos uma identidade à imagem da casa, publicámos um livro institucional, realizámos exposições temporárias, redigimos catálogos de exposições, convidámos artistas para interpretar as nossas obras e trouxemos ao museu uma visão arejada, atual com exposições de arte contemporânea, inaugurámos uma loja e uma cafetaria,  e prevenimos o futuro com várias campanhas de restauro.

Organizámos colóquios, conversas e cursos com conservadores, investigadores, peritos, antiquários, leiloeiros, professores, artistas, cientistas, políticos e filósofos que nos ajudaram a refletir, debater, pensar o museu, a sociedade, o mundo, a arte – combustível das nossas vidas.

Em suma, sob a sua batuta, criámos uma instituição que honra o seu legado estando aberta/pensada para ser de todos e para todos. Uma casa, a nossa CASA(MUSEU).

 

Em cima de um escadote, de martelo na mão, em noitadas de montagens, em visitas guiadas, a discursar nas inaugurações, a conversar com artistas, a organizar eventos, de camião ou de avião a caminho de um empréstimo, na rádio ou na tv, a nossa “chefa” trabalhou com afinco e dedicação manteve sempre o profissionalismo, disponibilidade, companheirismo, uma palavra amiga e um sorriso para todos os colaboradores.

 

Tanto foi feito, tanto por fazer! Sabemos que contamos sempre consigo!

Esta carta é pessoal e TRANSmissível pois é subscrita por todos os que, ao longo destes anos, tiveram o privilégio de consigo trabalhar:

Ramos

Conceição

Ana Isabel

Alves

Maria do Rosário

Maria

Flávia

Samantha

Tiago

Mariana

Aldalberto

Gonçalves

Cristina

Ferreira

Baião

Jorgina

 

Dezembro 2020